Um recente estudo realizado pela European Comission sobre sites de viagens apontou que, entre os 350 que foram analisados, cerca de 235 foram considerados não confiáveis quando se trata de informações para voos e estadas em hotéis.

Um dos problemas mais comuns encontrados diz respeito as taxas adicionais para um único produto. A informação, segundo o levantamento, aparece na fase posterior à realização da reserva. Durante a análise, a disponibilidade de preços promocionais para apartamentos e viagens também não ficou clara para os especialistas.

A pesquisa foi realizada em outubro de 2016 em parceria com uma série de autoridades ligadas à defesa do consumidor. Também foi apurado que quase um terço dos sites não exibem o preço cheio ou a maneira como o cálculo é feito para a apresentação do valor final ao cliente.

No que diz respeito ao fator denominado escassez, um em cada quatro sites de viagens não revelou que mensagens como “apenas dois quartos” ou “disponível somente hoje” se referem a alocação do próprio site e não ao inventário total da propriedade.

No entanto, a Comissão recusou-se a divulgar a relação dos sites onde as falhas foram encontradas.

Outros dados: – 21% dos chamados “preços especiais” não estavam disponíveis
– 23% mostrou apenas informações básicas sobre os hotéis, tais como nome e endereço, enquanto 4% não forneceu nenhum detalhe
– 21% divulgaram comentários pouco claros e/ou falta de transparência sobre a veracidade dos relatos

De acordo com o relatório final, cada um dos sites deve trabalhar dentro de um prazo, com acompanhamento das autoridades reguladoras nacionais na correção das irregularidades apontadas.

Por Hôtelier News