Compartilhe!

Como segundo painel do dia, o modelo de distribuição dos hotéis foi pauta no quarto CLF (Corporate Lodging Fórum). Especialistas discutiram como garantir a melhor tarifa após a negociações entre empresas e hotéis. Idealizado pela HRS, o evento, aberto ontem pela manhã, aconteceu no Four Seasons São Paulo, na Zona Sul da capital paulista.

Para obter a melhor tarifa não basta apenas contratar hotéis, é preciso também garantir que o preço negociado estará disponível para seus viajantes. Muita coisa pode acontecer entre fechar um acordo com o hotel e a reserva dessa tarifa. Participaram do debate Luiz Felipe Albuquerque, RM do Palácio Tangará, e Victor Maranhão, gerente de Vendas da Accor. Mediaram a conversa Aline Bueno, diretora de vendas da HRS, e Phelipe Farah, diretor de Hotel Solutions (HRS).

Os compradores são céticos quanto ao carregamento correto da tarifa e sua disponibilidade mesmo após o término das negociações. O que os deixa frustrados com a necessidade de reconciliar dados inconsistentes de diversas fontes para rastreá-las.

Para Albuquerque, a melhor maneira de o hotel manter boas relações com os clientes é ser transparente. “O mercado hoteleiro é muito dinâmico, não temos uma tarifa estática e sim dinâmica, que vai mudar diversas vezes dependendo das oportunidades de otimizar a receita do hotel. Importante deixar isso claro para o cliente, assim ele entende que quanto maior a demanda, maior o preço e que se a reserva ocorre com maior antecedência os benefícios serão maiores.”

By Hotelier News